Wednesday, June 21, 2006

Maratona Selenis PTG 2006

E tudo começou assim:

- “Epá agora que já temos umas bikes jeitosas temos que ir a alguns passeios” – disse um dos Enrola Corrente.

- “Olha porque é que não vamos à maratona de Portalegre” – disse outro Enrola Corrente.

- “Pronto nem se fala mais no assunto, temos é que nos inscrever porque aquilo esgota rápido” – rematou o terceiro Enrola Corrente.

E assim foi! Pela 1ª vez o Ciborro iria ter participantes no maior evento de BTT em Portugal:

Maratona Selenis Portalegre 2006


Passados 2 meses da inscrição finalmente recebemos a documentação:

Dorsal nº 3715 – Pedro Bento
Dorsal nº 3833 – Duarte Cacilhas
Dorsal nº 4064 – Tiago Ganhão

E quem melhor para tratar da logística dos 3 Enrola Corrente que o Buxinha?
Estava então formada a equipa:

Atletas: Pedro Bento
Tiago Ganhão
Duarte Cacilhas

Treinador
Mecânico
“Filmador”
“Fotografador” : Buxinha


Os dias foram passando, e o 6 de Maio estava próximo e o nervosismo aumentava, até que chega o tão aguardado momento. 2900 participantes, 70% da prova vai decorrer no Parque Natural da Serra de São Mamede, o tempo está bom, sol e calor. Vai ser lindo vai…..

Os carros estão “aviados”, as bikes afinadas e às 05h15m lá fomos nós a caminho de Portalegre. A viagem foi rápida e sempre a andar. Ás primeiras horas da manha o nevoeiro era a única coisa que procupava.

Por volta das 07h00m chegamos à zona de exposição de Portalegre, junto ao Estádio dos Assentos e a essa hora da manhã já a confusão era muita.

A 1ª tarefa era montar as tendas para dormir, aliás, para o Buxinha dormir!!! Depois foi as bikes a saltarem dos carros e as coisas do costume: camelbak cheios, capacetes apertados, barras energéticas metidas nos bolsos, máquinas fotográficas com pilhas e estávamos prontos para a grande aventura. Foto da praxe e lá vamos nós…
















Foto 1: Enrola Corrente prontos para partir

Ás 09h00 de 6 de Maio de 2006, nunca tinha visto uma coisa assim, só se viam bicicletas, capacetes e uma avenida de 1km preenchida com camisolas de todas as cores. Espectacular!!

Os 3 primeiros Km’s (alcatrão), foram sempre a subir até ao centro de Portalegre. Já no centro de Portalegre as ruas começaram a encher de tal modo que grande parte dos ciclistas tiveram de desmontar.











Foto 2: Toca a desmontar…

Saímos então em direcção a Marvão. Quem conhece a estrada sabe do que estou a falar. 5 penosos km desde Portalegre até ao parque de campismo da Orbitur. Inclinação media de 6%. Foi nessas primeiras rampas que nunca mais vimos o Duarte “Gasoso”

- “ Adeus Gasoso, vai-te embora que eu e Dabucha vamos no nosso andamento


Assim foi, só voltamos a ver o Gasoso já na tenda a descansar










Foto 3: Gasoso em plena acção…
Fonte: ABTFOTO



Finalmente a subida até ao Orbitur terminou. Voltamos para a direita e o alcatrão deu lugar a caminhos de terra como nunca tinha andado. A vegetação era densa e a primeira parte da maratona foi feita quase toda “a sombra”. Começaram então a aparecer os primeiros azarados: uns furavam, outros tinham mais azar e caiam. Grande trabalho da Cruz Vermelha e dos Escudeiros de Portalegre. Sempre que houvesse dúvida no trajecto lá estava alguém da organização para nos indicar o caminho certo.

Eu e o Dabucha fizemos uma prova animada, fomos sempre a conversar e a fazer novos amigos: imaginem que conhecemos um indivíduo que vinha de Chaves e que conhecia o Ciborro!!! Grande festa!!!

“Quem nasce é que sabe”
“Calma nosso cabo”

Foram as frases mais ditas durante a maratona



Ao Km 20 as coisas separaram-se. Os mais corajosos seguiam em direçao às Antenas – Pico da Serra de São Mamede (1200 metros de altitude). Os outros menos CORAJOSOS, voltaram à direita (Maratona dos 49 Km). Não passaram pelas Antenas, mas subiram até aos 900 metros de altitude. Foi o que nós os 3 fizemos!

Antes de iniciar a subida, passamos por uma ribeira com alguma lama e água. Estive quase a cair!!

Foto 4: O raio do fotografo não foi capaz de esperar mais um bocado…
Fonte: ABTFOTO

Começamos então a subir. 5 km’s sempre a empinar. Muita pedra solta, muitos ganchos onde se subia sempre mais, muita gente a desmontar. Eu e o Dabucha fizemos uma boa subida! Passamos muita gente que vinha desde o 1º Km à nossa frente. Mesmo no final da subida optamos por poupar-nos e descemos das bikes. Era mais rápido andar a pé do que a pedalar.

Depois de passar pelos 900 metros de altitude, vinha o melhor. Uma descida de cerca de 4,5 Km quase toda em single track (vereda). Tinha de tudo: lama, ribeiras, curvas apertadas, troncos, saltos. Foi sem duvida os melhores 4 km de btt que já fiz.

O Dabucha fez a decida na frente e eu optei por dar espaço para precaver alguma coisa. Deu pra ver o Dabucha a “dar espectáculo”: 2 vezes atravessou a roda de trás da bike!! Pouco faltou para dar umas quedas e de certeza que não ficava lá muito bem tratado, pois a descida tinha muita pedra.

Fim da descida e surgiu um problema técnico: a minha corrente saltou e enleou-se de tal forma que aquilo parecia o mercado de Cabul

Foto 5: Aqui o gajo ia direitinho…
Fonte: ABTFOTO

Tivemos de parar e colocar de novo a corrente no lugar e seguimos caminho em direcção à ZA1.

Chegámos depressa a Alegrete, onde a organização tinha preparado um abastecimento: água, barras energéticas e uns bolinhos. Nem paramos, metemos as coisas nos bolsos e seguimos a maratona. Poupamos imenso tempo e passamos muitos ciclistas.

Estávamos assim já a caminhar para a meta. Os Km passavam muito rápido, pois o caminho era muito rolante. Por volta dos 40 Km passámos por um rebanho de vacas, nada que não tivéssemos já habituados!!!

Por esta altura já : “ O Gasoso deve estar na meta” dizia-me o Dabucha. E era verdade!!

Tavamos quase a chegar e eu disse ao Tiago: “O pior deve estar para vir”. E para mal dos nossos pecados , eu tinha razão. Depois de 44 km muito difíceis, os últimos foram mesmo os piores, muito provavelmente devido ao cansaço. 5 Km’s a subir de novo Portalegre.

Passamos pela Praça Principal, Câmara Municipal, atravessámos a Avenida da República, entrámos no jardim, passamos pelo lago, que até tinha àgua, fizemos 2 curvas em rampa e finalmente a meta. 49 Km’s, missão cumprida. Chegámos ao fim sem problemas


Depois pusemos as bikes junto ao Buxinha e fomos refrescar as ideias (tomar banho). Já eram 15 horas quando fomos almoçar: Sopa, esparguete com carne e um doce.

Com a barriga cheia, fomos os 4 até à zona de chegada, mas desta vez de carro. Imaginem, ainda estavam a chegar atletas!!! Oito horas a pedalar. Estes sim, são os verdadeiros campeões da Maratona de Portalegre.


Foto 6: Pelas caras houve pessoas que nem comeram….


Já à noite fizemos uma breve visita à Praça Central que estava animada, bebemos a respectiva imperial e fomos directos para a tenda. O cansaço tinha-se apoderado de nós.

Depois de um dia longo, podemos dizer que foi certamente um momento para recordar: bom ambiente, bom tempo, percurso excelente, boa organização, boa prestação dos Enrola Corrente e também “gajas boas” a andar de bike. Lol lol lol .

Em 2007 marcamos de novo presença!!!

1 comment:

O Ciborrense said...

BRAVO...
Assim sim, dá para perceber que foi um dia bem passado.

Gostei mt deste (blog) à que continuar a demonstrar a vossa coragem e garra, Força os Ciborrenses estão com vc.

Quando precisarem de alguma divulgação é só mandarem...

Um Abraço
Galego Júnior